Benvindo a Varizinforma

 
Home
Quem somos
Anatomia
Fisiologia
Porquê as Varizes
Como estudar o doente
Como estudar o doente cont.
O Eco-doppler em imagens
Tratar as Varizes
Os resultados
Prevenir as Varizes
Tratar as Telangiectasias
Flebite ou Tromboflebite
References e Congressos

O que são as telangiectasias

As telangiectasias, mais frequentemente chamadas "derrames" são dilatações capilares alimentadas habitualmente por uma pequena veia mas algumas vezes por uma arteríola. Muitas são rosadas ou vermelhas, outras são azuis ou mesmo arroxeadas. As que são alimentadas por uma arteríola costumam ser avermelhadas.

telangiectasias rosadas

Telangiectasias azuis

 

 

 

Em resumo:

Tratamento efectuado por médico devidamente treinado, consistindo em escleroterapia seguida de laser complementado por crio terapia

 

necroses provocadas por escleroterapia efectuada com má técnica

 

 

Não conhecemos, infelizmente, a etiologia das telangiectasias, mas de certo sãodevidas a uma má drenagem capilar da pele para o tecido celular sub-cutâneo.  . Sabemos que são agravadas pela medicação anticoncepcional, pelo tratamento hormonal substitutivo na menopausa, pelo trabalho em ortostatismo estático prolongado, por uma predisposição familiar e pela exposição ao calor.

Se em alguns pacientes são assintomáticas, em muitas pessoas esta situação acompanha-se de dores tipo "sensação de peso" nos membros inferiores, sobretudo ao fim de um dia de trabalho.

O problema estético é importante e leva os pacientes a procurar um médico que saiba resolver o problema.

O tratamento é feito sobretudo por escleroterapia, chamada frequentemente "secagem". Consiste na injecção intra-capilar de um produto agressivo para a parede deste, que conduz à sua oclusão e reabsorção. Apesar de parecer fácil, a escleroterapia não é fácil de efectuar, não é bem descrita nos livros de angiologia ou flebologia e reveste-se de muitos "segredos" que passam de mestre para discípulo como os de algumas artes artesanais que passam de pais para filhos.

Efectuada com má técnica e dependendo do produto utilizado, a escleroterapia pode provocar lesões graves do tipo necrótico com cicatrizes ou manchas escuras que permanecerão para sempre.

A maioria dos produtos provocam hiper pigmentação quando expostos aos raios ultravioletas pelo que não devem ser administrados no Verão (é o caso do "aetoxysclerol", o mais frequentemente usado). O "sclérémo" não tem este inconveniente podendo ser utilizado durante os meses de calor. Estes produtos não estão disponíveis para venda em Portugal.

O Laser é uma nova técnica que no início trouxe grandes esperanças ao tratamento destas lesões. Verificou-se ràpidamente que é ineficaz na maioria dos casos, sobretudo nas telangiectasias mais volumosas e azuis. Utilizado com má técnica pode provocar queimaduras graves. Em mãos experientes é uma arma muito útil para as pequenas telangiectasias vermelhas, sobretudo as resistentes à escleroterapia e que frequentemente são alimentadas por arteríolas - isto porque a pressão arteriolar dilui o produto esclerosante impedindo-o de actuar (esta pressão não tem influência sobre a técnica de laser). NUNCA deve ser utilizado sem crio terapia prévia (aplicação de frio) .

A varicose reticular consiste em um retículo grosseiro de vénulas azuladas  que atingem ou ultrapassam os 2 mm de diâmetro. Coexiste frequentemente com as telangiectasias. O seu tratamento é feito também por escleroterapia sendo o laser completamente ineficaz nesta situação.

Tanto a varicose reticular como as telangiectasias são uma entidade diferente da doença das veias superficiais e não devem ser consideradas como sendo um primeiro estádio da doença varicosa.

 

 Home | Quem somos | Anatomia | Fisiologia | Porquê as Varizes | Como estudar o doente | Como estudar o doente cont. | O Eco-doppler em imagens | Tratar as Varizes | Os resultados | Prevenir as Varizes | Tratar as Telangiectasias | Flebite ou Tromboflebite | References e Congressos

 

 

"Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil."